Curso de Formação de Conciliadores é lançado em reunião do Coleprecor

 Coleprecor

 

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) lançou na manhã desta quarta-feira (28), na 6ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes e Corregedores dos TRTs (Coleprecor), o curso ''Formando Conciliadores'', que tem como objetivo fomentar e contribuir para a solução de conflitos, capacitar conciliadores ou mediadores, e estimular a criação de centros de conciliações no âmbito da Justiça do Trabalho. A presidente e o corregedor do TRT da Bahia, desembargadores Maria Adna Aguiar e Esequias de Oliveira, respectivamente, participam do encontro.

 

A cargo da Comissão Nacional de Promoção à Conciliação, coordenada pelo vice-presidente do CSJT, ministro Emmanoel Pereira, o curso ''Formando Conciliadores'' contou com a produção da Coordenadoria de Rádio e TV do Tribunal Superior do Trabalho (TST), com participação da Seção de Multimídia do TRT da 15ª Região (Campinas/ SP). Durante o evento de lançamento, Pereira foi representado pelo juiz auxiliar da Vice-Presidência do CSJT, Rogério Neiva Pinheiro. ''Este curso visa preparar os conciliadores na dura tarefa de solucionar conflitos e é a principal ferramenta da nossa Justiça'', reforçou o ministro Emmanoel Pereira, em vídeo de apresentação do curso, que foi exibido aos presidentes e corregedores dos tribunais trabalhistas.

 

O CURSO - Dividido em nove videoaulas, o curso aborda fundamentos e importância da solução autocompositiva, e os modelos de negociação; as etapas de conciliação e mediação; técnicas e estratégias de negociação; noções de direito do trabalho, de cálculo trabalhista e de processo do trabalho; redação de ata do acordo; ética da conciliação e mediação; e por fim, as providências para instalação de centros judiciários de solução de conflitos e dinâmica das audiências de conciliação.

 

Na mensagem audiovisual, o presidente do TST e do CSJT, ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, lembrou da vocação conciliatória da Justiça do Trabalho e da abordagem do tema no novo Código do Processo Civil (CPC), assinalando o caráter vanguardista do Judiciário Trabalhista.  ''A introdução da ideia da conciliação no processo comum nada mais é do que seguir o que já era costume e de praxe na Justiça do Trabalho. Por isso, somos vanguardistas''. De acordo com Martins Filho, o conciliador deve ter uma série de virtudes, bom conhecimento e ser especialista em relações humanas.

 

Os presidentes do tribunais receberam o kit do curso “Formando Conciliadores”, composto por quatro DVDs. Ministram as aulas em vídeo, além do juiz Rogério Neiva, os magistrados Bento Herculano Duarte Neto (desembargador do TRT da 21ª Região/RN), Maximiliano Pereira de Carvalho (auxiliar da Presidência do TST), Ana Claudia Torres Vianna (coordenadora do Centro Integrado de Conciliação de 1º Grau da Circunscrição de Campinas do TRT da 15ª Região) e a advogada Márcia Cristina Cambiaghi (Instrutora em mediação pelo Conselho Nacional de Justiça - CNJ).

 

Fonte: Coleprecor - 28/9/2016 (com edições da Secom TRT5)