TRT5-BA prestigia posse de Ives Gandra como presidente do TST

 TST

 

O ministro Ives Gandra Martins Filho acaba de ser empossado presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) para o biênio 2016-2018. Após assumir o cargo e tomar seu lugar à mesa de honra da sessão solene - realizada no Plenário Ministro Arnaldo Süssekind - o novo presidente deu posse aos ministros Emmanoel Pereira, no cargo de vice-presidente, e Renato de Lacerda Paiva, no de corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

 

Participaram da solenidade, na mesa de honra, do vice-presidente da República, Michel Temer, dos presidentes do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, e da Câmara dos Deputados, deputado Eduardo Cunha, dos ministros de Estado da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, entre outras autoridades. Uma comitiva do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5-BA) - composta pelos desembargadores Maria Adna Aguiar (presidente), Lourdes Linhares (vice-presidente), Esequias de Oliveira (corregedor), entre outros magistrados - também prestigiou a posse da nova direção do TST.

 

 TST

Ministro Ives Gandra com as desembargadoras Maria Adna (TRT5) e Ângela Catão (TRF1)


A solenidade teve início com a execução do Hino Nacional pelo pianista e maestro João Carlos Martins, tio do novo presidente. O cargo foi transmitido pelo presidente da Corte no biênio 2014-2016, ministro Barros Levenhagen, que, ao se despedir da Presidência, fez um breve balanço da sua gestão.

 

Em seguida, fizeram uso da palavra o ministro Douglas Alencar Rodrigues, que saudou os novos dirigentes em nome dos demais membros da Corte, o procurador-geral do Trabalho, representante da OAB, e o ministro Ives Gandra Filho.

 

Governadores de estado, senadores, deputados, ministros de tribunais superiores e outras autoridades acompanham a cerimônia, transmitida ao vivo pelo Portal do TST na Internet e pelo canal do TST no Youtube.

 

Secom TRT5-BA - 25/02/2016 (Com informações do TST)