Semana da Conciliação: juíza e partes avaliam as vantagens de fazer acordo

 Secom TRT5-BA

Mesa-redonda da Coordenadoria de Execução favorece a negociação

 

Os acordos celebrados pelo Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT5-BA) durante a Semana Nacional da Conciliação comprovam, na avaliação de uma juíza e de empregados e empregadores, a veracidade do slogan escolhido para esta edição do movimento (A conciliação é o caminho mais curto para resolver seus problemas).

 

Na opinião da juíza Cristina Maria de Azevedo, da Coordenadoria de Execução e Expropriação do TRT5-BA, ''Um acordo justo pode ser o melhor caminho para empregado e empregador'', e é justamente por isso que o Tribunal participa, pelo décimo ano consecutivo, da Semana da Conciliação, mutirão encabeçado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em todas as esferas do Poder Judiciário. Esta edição, que teve início na última segunda-feira (23), segue até esta sexta (27).

 

Com ambiente acolhedor, a sala de audiências da Coordenadoria de Execução atende aos atuais 'protocolos' de conciliação e foi projetada com o objetivo de propiciar a realização de acordos. A mesa redonda substituiu a tradicional mesa retangular - onde as partes sentavam-se frente a frente - e agora, tanto o juiz quanto as partes sentam-se lado a lado, o que aproxima as pessoas e favorece a negociação de forma amigável.

 

 

 Secom TRT5-BA

 

 

BENEFICIADOS - Para o advogado Renato Macedo, que representou uma empresa que celebrou um acordo nesta quinta (25) no TRT5-BA, a conciliação é benéfica porque possibilita às empresas negociar com a parte credora (o trabalhador) uma forma de quitação da dívida que fique dentro da realidade financeira da empresa. ''Se viesse o poder coercitivo do Estado, certamente seria muito mais penoso, em razão do risco de penhora de bens, por exemplo, que poderiam inviabilizar a capacidade produtiva da empresa'', afirmou.

 

Mas não foi só o empregador que ficou satisfeito com o acordo. A advogada Tarcila Neri, do sindicato da reclamante, destacou a curta duração do processo resolvido mediante acordo. ''Diante das possibilidades de recurso, levaria, no mínimo, um ano para minha cliente receber algum valor neste processo'', explicou.

 

SEMANA - O TRT5-BA programou para a Semana da Conciliação um total de 4.279 processos, dos quais 1.222 são referentes a audiências agendadas pelas varas trabalhistas e pela Central de Execução; e 3.057, pelo Juízo de Conciliação de 2ª Instância (JC2). Quem tiver ação trabalhista e quiser fazer acordo deve procurar o seu advogado para solicitar uma audiência. As solicitações que não puderem ser agendadas para o período do mutirão serão atendidas posteriormente.

 

Secom TRT5 (Letícia Gonçalves e Lázaro Britto) - 26/11/2015