Comitê Gestor do PJe realiza última reunião com atual gestão

 

Na última sexta-feira (23/10), o Comitê Gestor do Processo Judicial Eletrônico (PJe) no TRT5 realizou sua última reunião sob a presidência da desembargadora Dalila Andrade. A desembargadora Margareth Costa passa a comandar a comissão e vai encontrar a Justiça do Trabalho baiana operando 100% com o novo sistema a partir do dia 3 de novembro, quando será implantado o PJe em Paulo Afonso. A diretora da Setic, Cláudia Jorge, gerente de implantação do projeto, apresentou as principais ações realizadas ao longo dos 4 últimos anos, enfatizando o trabalho em equipe que envolveu dezenas de servidores de diversas unidades do Tribunal.

 

Além do Comitê, vinte servidores atuaram diretamente no projeto, capacitando mais de 2 mil pessoas, interna- e externamente, para operacionalizar a nova ferramenta, incluindo juízes, oficiais de Justiça, membros do Ministério Público do Trabalho, advogados e servidores. Até o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e 16 TRTs foram capacitados pelo Regional baiano. O suporte recebeu 21 mil chamados ligados ao PJe.

 


A desembargadora Dalila Andrade ressaltou que as implantações foram muito valorizadas pela administração: O presidente inaugurou pessoalmente o PJe em todas as 88 varas do estado, o que movimentou diversos setores do Tribunal, como Diretoria Geral, Informática, Obras, Comunicação Social, Secretaria Administrativa e Coordenadoria de Apoio ao Interior. "Para atender ao PJe foram feitos projetos de layout, instalação de rede, elétrica e adequação do mobiliário na sala de audiência, além da central de atendimento. Ainda foi inaugurada a sala cofre, criado link de internet redundante, servidores de rede, switches, além de novos micros e equipamentos!", concluiu.

 

Foram destacadas as ações de comunicação e de sensibilização para implantação do PJe no TRT da Bahia, como plotagem de elevadores e até dos ônibus urbanos, além de diversas ações para facilitar o atendimento dos advogados e partes, com a plotagem de pezinhos no chão mostrando o caminho até a sala de autoatendimento. E ainda, para melhor direcionar as intervenções realizadas nos setores, a equipe de Organização e Métodos realizou diagnóstico em 86 varas, como o número de servidores, quantidade de processos, organização do trabalho, entre outros. Quanto ao suporte, foram cerca de 21 mil chamados, desde a instalação do NUSOP

 

Entre as propostas apresentadas para o novo comitê gestor, estão a criação do Nusop/Setic itinerantes, ações regulares para capacitação sobre as novas funcionalidades do PJe e suporte unificado aos sistemas judiciais. "A ideia é unificar todas as demandas relacionadas a TI, além das questões processuais, para todos os usuários, diminuindo, inclusive, o atendimento nos balcões das varas", declarou Cláudia.

 

Ao final, a desembargadora Dalila Andrade agradeceu o empenho de todos, sem distinção, ressaltando os trabalhos da Setic, Nusop, O&M, de treinamento e de comunicação. ''Sem a Secom, o PJe não teria tido o sucesso que teve. Me dediquei junto com todos os abnegados servidores e adorei trabalhar com todos vocês. Agradeço muito o apoio, foi um aprendizado completo todo esse processo, e peço desculpas pelos excessos. Tenho muito carinho por todos e hoje são meus grandes amigos'', concluiu a gestora que deixa o cargo.

 

Secom TRT5 - 23/10/2015