Congresso expõe tecnologias e debate tendências da comunicação

 Lázaro Britto | Secom TRT5

Além do congresso, feira oportunizou troca de experiências entre os visitantes

 

Na semana passada (de 27 a 29/5), o Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, foi palco da Panorama Show, uma feira de tecnologias voltadas para o mercado audiovisual e apresentação das últimas tendências neste segmento da comunicação social. Paralelamente à feira, aconteceu o Congresso Panorama Audiovisual, dedicado ao aperfeiçoamento e troca de experiências de profissionais de comunicação, em especial aos envolvidos com a produção de conteúdo para televisão, internet e cinema. As mais de 50 palestras, separadas por áreas temáticas, ocorreram simultaneamente em quatro salas em formatos de conferências, painéis e workshops. A Secretaria de Comunicação Social (Secom) do TRT5 participou dos eventos, representada pelos servidores Sandro Chagas e Lázaro Britto.

 

Entre os principais temas, foram discutidas novidades da área técnica, como tecnologias de gravações em HD e 4K, streaming (transmissão) de áudio e vídeo pela internet, veículos aéreos não tripulados (drones), softwares e recursos de edição, entre outros temas, apresentados por fabricantes e provedores de serviços da indústria audiovisual. A evolução das mídias digitais e seus impactos na produção jornalística também integrou os debates, com reflexões sobre o uso das redes sociais, em especial através de smartphones, tablets e outros dispositivos móveis, realidade que exige dos veículos de imprensa e comunicação um repensar sobre a produção e veiculação de notícias.

 

 Lázaro Britto | Secom TRT5

 

Segundo o diretor técnico de operações do SBT, Raimundo Lima, um dos destaques no painel sobre 'geração de notícias com velocidade e precisão', vivemos na chamada era da ''devoração de imagens'' ou consumo excessivo de informação no formato audiovisual, cujo conteúdo - antes exclusivo dos veículos oficiais e tradicionais de mídia - passou a ser produzido por qualquer pessoa, dado à facilidade e crescimento na oferta de equipamentos e softwares. ''O fluxo há muito tempo deixou de ser linear'', afirmou Lima, e ''a TV tradicional, que antes estava fadada ao declínio, teve de se tornar broadcasting em sua produção, disponibilizando os conteúdos não apenas pela televisão, mas também pela internet, mídias sociais e dispositivos móveis''. O mesmo modelo, segundo o palestrante, deve ser seguido por todas as organizações.

 

Secom TRT5 (Lázaro Britto) - 1º/6/2015