Capacitação em PJe-JT é assistida por mais de 5 mil internautas

 Secom TSTCerca de 5,5 mil internautas acompanharam pelo Youtube o curso de capacitação em Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) para advogados, ministrado nesta quarta-feira (20), em Brasília. O presidente do Comitê Gestor Nacional do PJe-JT, desembargador Cláudio Brandão (foto), que ministrou a palestra, abordou todos os aspectos do sistema, explicando o passo a passo para a operacionalização, além de responder a perguntas dos cerca de 900 advogados que se inscreveram para assistir a apresentação no local.

 

O evento, realizado no Tribunal Superior do Trabalho (TST), teve o objetivo de instruir os advogados sobre o correto uso do novo sistema, que já funciona em todas as regiões do país. ''Cerca de 300 mil advogados serão usuários diretos do PJe-JT, usando o sistema diuturnamente'', pontuou o desembargador Cláudio Brandão, usando estimativa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). ''O PJe-JT não é um projeto para juízes, mas para o cidadão, e brasileiro, e os advogados são o nosso maior usuário''.

 

Na ocasião, o palestrante respondeu, ainda, perguntas do auditório e de internautas e destacou a agilidade que o sistema proporcionará à Justiça do Trabalho. ''O PJe funciona neste ambiente para ser acessado em qualquer lugar do mundo, bastando ter um computador, certificado digital e acesso à internet. Isso não é uma mudança pequena'', frisou.

 

REPERCUSSÃO - ''O curso está transmitindo para os advogados como o PJe-JT pode ser útil  no dia a dia da profissão'', afirmou o presidente da Associação Carioca dos Advogados Trabalhistas (ACAT), José Luís Campos Xavier. Ele lembrou que cerca de 300 mil advogados vão manusear o PJe, daí a necessidade de que iniciativas como essa se repitam mais vezes para atender esse contingente. ''É importante a participação da OAB, dos Tribunais, das associações de advogados, de todos''.

 

A advogada Ane Carolina de Medeiros afirmou que o curso ''é importante para integrar os advogados nessa nova realidade virtual''. Ela revelou que, como a maioria dos advogados, não é especialista em informática e tem dificuldade nessa área, por isso a necessidade desse tipo de capacitação. Mostrou-se muito impressionada com o fato do palestrante, o desembargador Cláudio Brandão, não ser um técnico do TST e sim um magistrado. ''Isso mostra que não é um bicho de sete cabeças'', concluiu.

 

Para Leonardo Bortuluzzi, que estava no auditório, a inciativa é ''fundamental para a socialização da cultura do peticionamento eletrônico''. Ele destacou ainda o benefício do sistema com a economia processual, como a ausência de locais para o arquivamento dos autos e a eliminação da necessidade de transportes, além da contribuição do desenvolvimento sustentável, com o fim do uso do papel.

 

Giane Schiavo, que assistiu o curso pelo canal do TST no Youtube, postou o seguinte comentário: ''Vale a pena assistir pessoal... as dicas são superinteressantes!''. Já Hembley Serra parabenizou o TST ''pela iniciativa de dinamização de cursos para capacitação do PJe-JT!''.  Diogo Lisboa também deu parabéns ao TST pela iniciativa. ''O PJe é mais um avanço da JT! E, após alguns esclarecimentos, como esta excelente palestra, descobriremos a praticidade do sistema'', concluiu.

 

Para quem não acompanhou a capacitação, os vídeos do curso podem ser assistidos no canal do TST no Youtube.

 

Secom TRT5 - 21/02/2013 (Com informações da Secom TST)