e-Correição: projeto vai otimizar as atividades correicionais e das unidades jurisdicionais

O projeto e-Correição, que está sendo adaptado pela Corregedoria do Tribunal do Trabalho da 5 Região (TRT5-BA) desde novembro de 2017, tem como proposta criar ferramentas online para automatizar e dinamizar as atividades correicionais, bem como orientar e auxiliar a gestão das unidades jurisdicionais através da obtenção de dados e estatísticas dos processos em tramitação no Tribunal. O projeto inicial foi apresentado para representantes do TRT5 pela equipe da Corregedoria do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP).

A corregedora do TRT5-BA e patrocinadora do projeto e-Correição, desembargadora Dalila Andrade, explica que um núcleo local foi criado para desenvolver este projeto: “O objetivo é criar ferramentas, a partir dos dados do sistema e-Gestão, coletados e extraídos pelo programa Business Intelligence (BI – serviço da Oracle adotado e utilizado pela Gestão Estratégica do Tribunal há sete anos) para diagnosticar, desenvolver e fiscalizar os trabalhos e as atividades das Unidades Jurisdicionais e dos magistrados de 1º Grau”.

O juiz auxiliar da Corregedoria Regional e gestor do projeto e-Correição, Firmo Ferreira Leal Neto, destaca que, além de criar ferramentas para facilitar o trabalho da Corregedoria, a proposta é também desenvolver aplicativos para contribuir para o gerenciamento dos processos físicos e eletrônicos por parte das Varas do Trabalho, já que o PJe (Processo Judicial Eletrônico), por exemplo, não conta com uma ferramenta de gerenciamento de processos. “O projeto permitirá aos gestores acesso eficaz às informações. Eles terão uma visão geral e diária do funcionamento e do cumprimento das tarefas” esclarece.

Segundo a gerente do projeto, Maria Madalena Oliveira de Brito Cunha,  a equipe responsável criou três novos painéis para auxiliar os trabalhos de acompanhamento processual: o e-Correição, que visa facilitar e otimizar as atividades dos servidores da Corregedoria, o e-Magistrado, que auxilia os magistrados e gestores com dados de produtividade e andamento processual, e o e-Corregedor, que proporciona acompanhar online toda a movimentação do Regional no 1º Grau.

Ainda de acordo com Madalena, mudar ou intervir nos trabalhos da correição não faz parte do escopo do projeto - cuja equipe conta também com os servidores Aldemaro Júnior e Fernanda Lorenzo. A proposta é utilizar as novas tecnologias para fornecer elementos que proporcionem a realização de correições online, facilitando e dinamizando, assim, as atividades da unidade.

Ela afirma que novas funcionalidades que fazem parte do e-Correição  já estão sendo utilizadas desde a primeira correição de 2018, em janeiro. Em fevereiro deste ano foram disponibilizadas para as Varas de Trabalho, no BI, as abas “Processos x Tarefas” e “Varas do Trabalho/Magistrados – Pendentes x Julgados”. Essas funcionalidades servem para auxiliar os gestores no gerenciamento das unidades, principalmente em relação ao  PJe, que até então, não fornecia relatórios gerenciais. “A expectativa é que o projeto esteja em pleno funcionamento até o fim do ano”, diz. Nas próximas semanas, o e-Correição será apresentado para os magistrados e gestores, além de e ser oferecido um treinamento para o uso do novo sistema.

Secom TRT5 (Renata Carvalho) - 3/4/2018