TRT-5 é o quarto Tribunal do Trabalho mais sustentável segundo índice do CNJ

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT-5) ficou em 4º lugar, dentre os Tribunais Regionais do Trabalho, no Índice de Desempenho de Sustentabilidade (IDS) de 2021, estabelecido pelo Conselho Superior da Justiça (CNJ). O patamar alcançado pelo Regional no ano foi de 68,6%, superior aos verificados em 2020 (63,5%) e em 2019 (49,9%). O TRT-5 teve ainda, dentre os regionais do Trabalho, a melhor variação entre 2019 e 2021 de 18,8% (ver tabela abaixo).



 
 

O  IDS busca criar um indicador sintético capaz de avaliar o resultado combinado de vários parâmetros distintos, permitindo a comparação objetiva entre os tribunais. Os pontos considerados foram: consumo de energia elétrica per capita, consumo de água per capita, número de usuários por veículo, consumo de copos descartáveis per capita, consumo de papel per capita, destinação de papel para reciclagem per capita, e consumo de água envasada descartável per capita.

O relatório com dados do índice, denominado de 6º Balanço da Sustentabilidade do Poder Judiciário, traz transparência aos gastos e aos resultados das ações de preservação do meio ambiente nos órgãos do Poder Judiciário. O documento fala ainda sobre a predominância do trabalho remoto durante a pandemia de covid-19, que impactou fortemente os números, e também sobre medidas como digitalização, Balcões Virtuais e o Juízo 100% Digital. Confira abaixo alguns dos indicadores analisados.

Consumo de Papel:

No Poder Judiciário como um todo, o consumo de papel vem caindo desde 2015 com a implantação de políticas socioambientais. Os gastos com papel reduziram 79% de 2015 para 2021 na Justiça, de acordo com o relatório. Alguns órgãos, dentre eles o TRT-5, não gastaram nada com papel no ano passado.

O consumo de papel per capita também vem reduzindo. Neste contexto, nenhum órgão da Justiça do Trabalho consome acima da média/per capita do Poder Judiciário (2,1 resmas). A Justiça do Trabalho na Bahia teve em 2021 um consumo de 0,3 resmas/per capita, média inferior, no ano, à do Poder Judiciário (2,1); à média dos TRTs (0,5) e ao TST (0,4).

Copos Descartáveis:

No consumo de copos descartáveis/per capita, o TRT-5 consumiu em 2021 uma média de 0,2 copos descartáveis/per capita. O dado também é inferior à média do Poder Judiciário (0,7), à média dos TRTs (0,4) e ao consumo do TST (2,2).

Impressões:

 Na quantidade de impressões per capita, no ano de 2021, o Regional baiano também apresenta média (133) inferior ao utilizado pelo Poder Judiciário (987), à média dos TRTs (310), e do que é consumido pelo TST (297). Neste quesito o TRT-5 é o segundo Tribunal Trabalhista de médio porte que menos imprime/per capita, atrás apenas do TRT-18.

Energia:

O consumo de energia elétrica por área em 2021 no TRT-5 foi de 22 Kwh/m², ao passo que o consumo do Poder Judiciário, da média dos TRTs e do TST foram, respectivamente, de: 28 Kwh/m², 29 Kwh/m² e 39 Kwh/m². O Tribunal do Trabalho da Bahia foi o segundo com menor consumo dentre os trabalhistas de médio porte e o 4º com menor consumo de energia por área dentre todos os órgãos da Justiça do Trabalho.

O 6º Balanço da Sustentabilidade do Poder Judiciário conclui que os resultados obtidos pelo Poder Judiciário foram positivos. Também,  que são evidentes os esforços da Justiça para que o país melhore o bem-estar social e permita a manutenção dos recursos naturais para as próximas gerações. A metodologia utilizada e os detalhes sobre os índices podem ser analisados no relatório. 

Secom TRT-5 (Fabricio Ferrarez) – 1º/7/2022